Trade Marketing, qual a importância para o seu negócio?

alvo azul, simbolizando estratégias de trade marketing

Com certeza você já ouvir falar sobre trade marketing, mas você sabe realmente o que é?

Existem muitas definições sobre o tema, das mais teóricas e complexas às mais pragmáticas. Porém, de uma forma simples, trade marketing é uma ciência que trata as relações entre os fabricantes e os canais de vendas que visa integrar os setores de marketing e vendas, agindo na execução de todos os P’s (produto, preço, praça e promoção).

E qual a importância do trade para o negócio?

Potencializar os resultados dos canais envolvidos, aumentar as vendas, a lucratividade e o valor percebido da marca, além de agregar valor ao shopper que é o centro de tudo! Mas, quem é o shopper? Ele é o comprador, é a pessoa que decide, que tem o poder de compra no PDV. Por isso, compreender sua jornada de compra e agregar valor em todos os pontos é a base do papel do trade e, para isso, é preciso unificar esforços entre fabricantes, distribuidores e lojistas.

Mas, afinal, o que o trade marketing faz?

Várias são as atividades que podem ser realizadas, mas é sempre importante lembrar que o trade marketing deve ser encarado como uma parte importante na estratégia de marketing das empresas, com o intuito de maximizar as vendas e a diferenciação de seus produtos e serviços nos pontos de venda.

Confira algumas delas:

  • Sugerir estratégias e táticas de marketing;
  • Gerenciar investimentos nos canais de venda;
  • Desenvolver calendários e atividades nos pontos de venda;
  • Monitorar e analisar os resultados das atividades promocionais;
  • Indicar e analisar performance de vendas;
  • Recomendar preços e descontos;
  • Coordenar pesquisas de consumidores e shoppers das lojas;
  • Analisar os hábitos, comportamento e preferências dos consumidores e dos shoppers;
  • Apresentar análises de mercado para os clientes.

 
Porém, para que tudo isso seja colocado em prática, é preciso elaborar um bom planejamento. A principal função do planejamento de trade marketing é alinhar os objetivos entre o varejista e a indústria de modo que a operação siga de maneira mais vantajosa e lucrativa para todas as partes, isto é, trazer ganhos à indústria, ao varejo e ao shopper que deve estar sempre no centro das decisões, lembra?

Sendo assim, o planejamento de trade marketing precisa envolver todos os interessados: à indústria cabe desenhar soluções sob medida para cada varejista. Já ao varejo/atacado é necessário entender as estratégias, aprová-las e executá-las de maneira adequada.

Para realizar um bom planejamento de trade marketing, vale seguir alguns passos:

  • Possuir clareza do propósito, metas e planos da empresa (avaliação corporativa);
  • Ter entendimento do cenário atual e perspectivas: avaliar o mercado, a concorrência, o consumidor e o shopper;
  • Alinhamento entre a estratégia da empresa e do trade;
  • Criar um plano com metas SMARTS (um dos métodos mais eficientes para elaboração de metas);
  • Verificar como medir os resultados de cada ação e fazer uma auditoria contínua;
  • Usar e abusar da tecnologia.

Trade marketing no mercado farmacêutico

Aqui na Thatto, temos alguns clientes do canal farma e, por isso, sabemos a importância que o trade marketing tem para esse mercado.

No segmento farma, o trade é fundamental, pois atua desde a geração de demanda (em consultórios) até o estímulo ao sell out (venda feita ao cliente final – no PDV). Além disso, o trade marketing é imprescindível para capacitar os canais indiretos (distribuidores) a levarem às farmácias o correto posicionamento das marcas e produtos proporcionando a integração de informações ao longo da cadeia. Mas, uma dica é sempre válida: é necessário atuar com cautela já que há inúmeras restrições e regulamentos a serem considerados nessa prática e nem todo tipo de ação pode ser implementada.

Atualmente, as indústrias farmacêuticas têm percebido a relevância do trade marketing e estão apostando nessa tática. Dessa forma, o correto uso da estratégia traz resultados para todos os envolvidos como:

  • A redução das rupturas (falta do produto na gôndola);
  • Aumento de margem;
  • Cumprimento do planograma;
  • Gestão do time de representantes e muito mais.

 Viu só a importância do trade marketing? Dessa maneira é possível ir melhorando os diversos índices que importam para o negócio. E quando falamos especificamente nas farmácias, a ruptura é um dos maiores impasses já que impacta diretamente nas vendas. Por isso, é preciso ter um trabalho colaborativo entre as indústrias, distribuidores e varejo farma, conforme explicou Tania Miné, diretora da Consultoria Trade Design e professora da pós-graduação da ESPM e da FIA, no Workshop Trade Marketing Farma – Canal Indireto, realizado em maio na sede da Febrafar em São Paulo. Para Tania é preciso ter uma convergência de esforços e resultados usando um bom planejamento e as ferramentas disponíveis.

Esperamos que você tenha gostado e aprendido um pouco mais sobre trade marketing.

Geração Hashtag: a nova forma de consumir conteúdos

diversas hashtags azuis e uma vermelha no centro

Você acha que o mundo físico e o digital estão cada dia mais interligados? Essa é a realidade da Geração Hashtag, uma das diversas maneiras de denominar a famosa Geração Y, àquela marcada pelos que nasceram a partir dos anos 80. Ou seja, os que vieram ao mundo junto com a internet, a invenção que tanto revolucionou o jeito de viver. Essa Geração Hashtag também é intitulada por alguns pesquisadores como a Geração 3C: curtir, comentar e compartilhar, que são os comandos básicos das redes sociais, plataformas que modificaram as formas de se comunicar.

Nesse cenário atual, a Geração Hashtag produz e consome conteúdo tão rápido e incessante na internet, o que possibilita que as pessoas compartilhem seus gostos, interesses, o que estão fazendo, o que não gostam entre outros aspectos cotidianos. Por isso, existe uma troca, pois ainda é possível acompanhar, curtir e comentar as atividades alheias de maneira bastante presente, estreitando as distâncias, desafiando as leis do tempo e modificando as relações pessoais.

Geração Hashtag: por que usam as #hashtags?

Em um mundo cheio de “likes” (as famosas “curtidas”), fica evidente que os assuntos e os interesses tratados pela Geração Hashtag fazem parte daquilo que eles apoiam, acreditam e se identificam. É dentro dessa ideia que entram as hashtags, como se elas fossem setores do supermercado, separando aquilo que é veiculado na rede para facilitar a busca pelas informações daquele universo que você gosta.

Para quem não sabe, a hashtag é uma palavra-chave antecedida pelo símbolo da cerquilha (#) que costuma ser utilizada para identificar o tema do conteúdo de uma foto, postagem ou outra atividade no Facebook, Instagram, Twitter entre outros. Ao colocar a cerquilha antes da palavra, a internet assimila aquela temática e posiciona a postagem junto com outras publicações do mesmo tópico. Assim, se você escrever “#amor” na legenda de uma foto, poderá acessar tudo que foi postado sobre “amor” apenas clicando no link gerado em sua hashtag.

Hoje, essas ferramentas também ocupam um espaço offline, possuindo um significado de “força de ação”. Dessa forma, a Geração Hashtag usa as tags para identificar e enfatizar campanhas publicitárias ou mobilizações sociais como, por exemplo, a #ForçaChape usada após o acidente com o time da Chapecoense em 2016 e o #JustDoIt slogan usado pela Nike para estimular a prática do esporte e, consequentemente, as vendas dos produtos da companhia.

Como o marketing pode usar a hashtag?

Os pertencentes da Geração Hashtag estão presentes no marketing das empresas, pois eles sabem como utilizar essa estratégia para conseguir mais resultados. O uso das tags certas pode aumentar o alcance das publicações, gerar mais seguidores e potenciais clientes.

Sendo assim, para ter sucesso com as hashtags, inicialmente invista na pró-atividade da equipe interna. Incentive-os a ter e manter seus perfis pessoais nas mídias sociais, criando assim apoiadores da marca dentro da rede, sendo responsáveis por curtir, comentar e compartilhar (lembra dos 3Cs?) as postagens feitas no perfil corporativo, criando mais engajamento.

Depois do público interno, pense nas hashtags da sua companhia. Crie uma própria com o nome do negócio, outra para os eventos, ações, nicho de mercado etc. Assim, quando as pessoas começarem a usar as mesmas contidas nos seus posts elas estarão aumentando a visibilidade e a interação das suas publicações.

Gostou desse conteúdo? Então fique de olho no nosso blog! Nós sempre teremos muita informação para você!

E-mail marketing: fuja dos erros comuns

ilustração de e-mail marketing

E-mail marketing é, de longe, uma das ferramentas mais poderosas de prospecção e relacionamento das empresas com seus consumidores.

Você sabia que funcionários passam, em média, 13 horas da sua jornada semanal de trabalho verificando sua caixa de entrada?

E ainda tem mais: 92% dos adultos online usam o e-mail, sendo que 61% desses utilizam todos os dias. Esses são só alguns números para mostrar que investir em campanhas de e-mail marketing é uma ótima forma de atrair clientes.

Identificou a oportunidade? Então daremos algumas dicas sobre os cuidados a serem tomados na hora de planejar e executar sua campanha de e-mail marketing.

Confira!

1 – Não compre listas para e-mail marketing
 
Parece prático e você pode se sentir tentado, mas não caia nessa. Comprar listas prontas pode prejudicar a sua reputação. Grande parte dos contatos não estarão interessados em seu produto e a outra parte pode nem mesmo existir. Além disso, as chamadas “black lists” estarão sempre a postos para banir o seu IP e enviar sua campanha de e-mail marketing direto para o lixo caso percebam que você está fazendo spam. Acredite, se você entrar na lista negra será bem difícil sair dela.
 
2 – Não envie e-mails com alta frequência
 
Ninguém gosta de ser perturbado, não é mesmo? Especialmente se os e-mails tiverem sempre o mesmo conteúdo. Por isso, crie um cronograma equilibrado de disparo da sua campanha e ganhe espaço sutilmente.
 
3 – Assunto com cara de spam
 
O assunto será sua manchete: o grande responsável pela taxa de abertura da sua mensagem. É a porta de entrada para conquistar a atenção do seu alvo, por isso, é importante não escrever uma mensagem muito longa e impessoal. Vale lembrar que 35% das pessoas abrem um e-mail considerando somente o assunto3.
 
4 – Cuidado com o layout do seu e-mail marketing
 
A última, mas não menos importante dica deste post, é sobre o layout. Estamos falando da arte, da mensagem e da redação. Isso será o seu cartão de visita e merece bastante atenção. É necessário saber trabalhar com as cores e fontes certas bem como não cometer erros de português.

Como todo trabalho profissional, é importante que as campanhas de e-mail marketing sejam desenvolvidas e gerenciadas por quem entende do assunto.

E quem mais apropriado para isso do que uma agência de publicidade? A Thatto está à disposição para contribuir com o sucesso da sua empresa. Entre em contato com a gente!

Marketing de conteúdo: fidelize o seu público

imagem simbolizando marketing de conteúdo

Marketing de conteúdo é uma forma de criar relacionamento com clientes e tão importante quanto a venda de produtos e serviços. Velhos métodos ligados ao outbound marketing (bombardeio de conteúdo publicitário irrelevante) tornaram-se técnicas obsoletas de vender. Então, a internet veio e abriu novos horizontes para as mentes brilhantes que, por meio do marketing online, viram uma maneira de atrair pessoas.

Foi aí que surgiu espaço para o marketing de conteúdo: assuntos relevantes são divulgados na internet, atraindo o público de uma forma natural e orgânica e fazendo com que ele interaja com as empresas que, além de divulgarem seus produtos, expressam filosofias e estratégias empresariais. O marketing de conteúdo trabalha com o comportamento do consumidor: interação e informação na mesma dose e é nas mídias sociais que esses conteúdos se disseminam.

Como funciona o marketing de conteúdo

Gerar tráfego é o primeiro passo para entender como marketing de conteúdo  funciona. Além de transformar consumidores potenciais em clientes fiéis, sua finalidade não é exclusivamente comercial, mas também fazer com que o público se torne fã da marca, defendendo e compartilhando a forma como você se posiciona no mercado.

Pessoas são naturalmente influenciadas, seja pela emoção ou por questões individuais. Por isso, é interessante conhecer o público-alvo e falar do que ele gosta, mostrar interesse por suas individualidades e fazer com que se sinta único. O desafio está em adequar o conteúdo a ser divulgado aos interesses dos consumidores, a fim de encantá-los a longo prazo. É necessário publicar a informação certa, na mídia certa e no momento certo. Não adianta estar em todos os lugares quando o seu cliente está apenas em um.

Para que o marketing de conteúdo se torne eficiente, o ideal é que a ferramenta seja gerenciada por um equipe especializada que conheça as plataformas das mídias sociais, as possibilidades de retorno de investimentos, suas métricas de avaliação e o lucro direto e indireto que elas podem gerar.

E aí, vamos falar a respeito? Entre em contato conosco e agende uma visita.