Coronavírus: como afeta a rotina de trabalho?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Coronavírus: como afeta a rotina de trabalho?

No início desta semana, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou que a situação do covid-19, o novo coronavírus, atingiu uma situação de pandemia. Com isso, governos de diversos países começaram a se movimentar para fechar suas fronteiras e uma série de recomendações foram feitas para a população em geral. Por isso, hoje vamos falar um pouco sobre como ajudar seus colaboradores evitar a doença.

O que é o coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que podem causar doenças em animais ou humanos. Eles são conhecidos desde 1965 e podem causar infecções respiratórias desde uma gripe comum até doenças mais sérias como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS) ou a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). 

A variação do coronavírus que está ocasionando essa pandemia ao redor do mundo, causa a doença covid-19. Ela foi descoberta em dezembro de 2019, em Wuhan, na China e desde então percorreu o mundo. 

Quais são os sintomas da covid-19?

De acordo com a OMS os sintomas mais comuns são: febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem apresentar dores no corpo, congestão e corrimento nasal, dor de garganta e diarreia. As pessoas que apresentarem qualquer um desses sintomas, ou de forma combinada, devem procurar atendimento médico.

Como ocorre a transmissão?

Estamos falando de um vírus novo e que ainda está sendo investigado pelas autoridades do ramo da saúde. Porém, já foi determinado que a transmissão do coronavírus acontece de pessoa para pessoa, ou seja, uma contaminação por contato. 

Isso quer dizer que qualquer indivíduo que entrar em contato próximo (aproximadamente um metro) com um paciente infectado está exposto à enfermidade. Entretanto, o potencial infeccioso dos vírus estão variando. Alguns são extremamente contagiosos, já outros nem tanto. Ainda não está completamente claro como o covid-19 se espalha. 

Além disso, a propagação do vírus pode acontecer pelo ar ou por contato com secreções contaminadas como: saliva, espirro, tosse, catarro, toque ou aperto de mão ou contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

O Ministério da Saúde informou que a transmissibilidade de pessoas infectadas é, em média, 7 dias após o início dos sintomas. O período médio de incubação por coronavírus é de 5 dias, com intervalos que chegam a 12 dias, fase em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial. No entanto, idosos e indivíduos com problemas de saúde como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver um quadro grave. 

Quais as recomendações para empresas com relação ao coronavírus?

A chegada do vírus e da epidemia ao Brasil já começou a alterar a rotina de trabalho de diversas empresas. Uma das principais medidas de contenção indicada pela OMS para quem suspeita ou já confirmou que está infectado e não apresenta sintomas graves é a isolamento doméstico por, pelo menos, 14 dias.

Existe até uma legislação assinada pelo presidente Jair Bolsonaro que está em vigor durante o período mais grave do surto, assinada em 7 de fevereiro. O texto determina que, diante a situação de emergência, o governo poderá colocar cidadãos em isolamento ou quarentena, sob condições estabelecidas pelo Ministério da Saúde. E, ainda, pode realizar exames e testes de forma compulsória. Para trabalhadores, a lei diz que a ausência nesses casos é considerada falta justificada. 

Evitar a adoção das medidas estabelecidas pela OMS e pelo Ministério da Saúde de quarentenas, isolamento e transparência nas informações pode agravar a disseminação da condição. 

Ajude a proteger os seus funcionários

A OMS divulgou algumas formas de ajudar seus funcionários, elas são:

  • Superfícies como mesas e telefones devem ser higienizadas com desinfetante frequentemente; 
  • Empresas devem orientar seus funcionários a lavarem com frequência suas mãos e oferecer sabonete nos banheiros; prover máscaras e papel; 
  • Funcionários que tenham sintomas, mesmo que leves, devem ficar em casa; 
  • Se o funcionário precisar viajar, pesquisar sobre a situação de contaminação no país de destino. Ao voltar, deve ficar em casa por 14 dias.

Por isso, diversas empresas estão adotando também o regime home office. Assim, mantêm os funcionários em casa e com menos risco de se contaminarem.

Fonte: Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde.