Redes Sociais: como utilizar como e-commerce?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Redes Sociais: como utilizar como e-commerce?

As redes sociais são, atualmente, uma das formas mais poderosas de divulgação que existe. Possuem um alcance quase que infinito e, diariamente, milhões de pessoas compartilham conteúdo e utilizam essas plataformas para se informar. E isso não é segredo nenhum, não é mesmo?

Toda essa popularidade, tornou a presença das marcas nas redes sociais algo fundamental para o crescimento – e até a sobrevivência – delas. As mídias sociais são uma forma de estar mais próximo do público e conversar diretamente com sua audiência. Recentemente, as marcas começaram a usar essas ferramentas para vender e começaram a montar pequenos e-commerces dentro delas, principalmente no Instagram e Facebook. 

Essas ferramentas, como Instagram Shopping e a loja virtual que você pode criar no Facebook estão auxiliando tanto grandes, como pequenas empresas a impulsionar suas vendas por meio das maiores redes sociais do momento. Já que as duas são funcionalidades gratuitas, que permitem que todos possam vender e lucrar mais com as redes sociais. 

Vamos conhecer melhor essas ferramentas das redes sociais? 

Instagram Shopping

redes sociais e-commerce instagram shopping

Essa forma de vendas pelo Instagram foi lançada no começo do ano passado e, desde então, tem conquistado muita popularidade dentro da rede social e sendo muito utilizada por diversas marcas – grandes ou pequenas.

O Instagram Shopping estava sendo testado desde 2016 pelas grandes empresas americanas e em março de 2018 – finalmente – alcançou o Brasil. Por meio da funcionalidade, é possível “marcar” os preços dos produtos nas roupas e colocar um link para uma aba de “comprar” na imagem. Dessa forma, os usuários podem comprar direto pelo Instagram, reduzindo o período de espera para comprar, porque eles não precisam mais ir até o site da marca e buscar pelo produto. E incentivando a compra por impulso também, já que está tão prática a compra. 

A ideia surgiu, de acordo com a própria rede social, quando perceberam que a compra de produtos que estavam anunciados no Instagram demoravam pelo menos um dia. Eles quiseram aproximar os usuários dos produtos e eliminar esse período de “demora” para a compra.

Apesar de ser uma funcionalidade bastante acessível e gratuita, é necessário preencher alguns requisitos para poder utilizá-la. Por exemplo: é necessário ter uma conta comercial no Instagram, é necessário já possuir um e-commerce, porque a plataforma não processa compras sozinha, a mercadoria que você vai comercializar tem que estar dentro das diretrizes do Instagram (animais e álcool não são permitidos) e o perfil comercial deve estar ligado à um catálogo do Facebook, que pode ser feito pelo Gerenciador de Negócios.

Facebook Marketplace

redes sociais e-commerce facebook marketplace

Há anos as pessoas vendiam coisas e faziam trocas pelo Facebook. Observando isso, no ano passado a empresa de Mark Zuckerberg lançou o Marketplace, a possibilidade de criar lojas virtuais dentro da plataforma e exibir seus produtos. 

De forma completamente gratuita, o Facebook Marketplace pode ser, também, uma opção para as marcas que estão começando seu negócio agora e ainda não têm dinheiro suficiente para investir em um e-commerce. E ela vai ainda um pouco além do que Instagram Shopping, por exemplo, a função da loja virtual dentro da maior rede social do mundo também permite que você atenda seus clientes diretamente na sua página. 

Além disso, o Facebook prioriza os negócios locais mais do que qualquer outra plataforma de vendas (OLX, Mercado Livre e etc). Isso quer dizer que ele facilita as transações entre pessoas que estão mais próximas, evitando custos com frete e espera. Ele também se aproveita das informações que conseguiu levantar sobre o usuário para poder oferecer os melhores produtos para os clientes.

Ao contrário do Instagram Shopping, não é necessário já possuir um site de e-commerce, você pode simplesmente anunciar os seus produtos na sua página, mas o que eles têm em comum é que: o Facebook Marketplace não interfere na hora do pagamento. Isso quer dizer que o formato de pagamento fica a cargo do vendedor e do cliente acertarem no momento da compra. 

Agora que você já conhece e entendeu um pouco melhor como cada uma delas funciona. Que tal começar a investir nessas plataformas? Fale com a Thatto, nós podemos te ajudar!