Realidade virtual: como aplicar no varejo?

Já falamos um pouco sobre como uma narrativa pode alavancar uma marca. Contar uma história de forma que proporcione, também, uma experiência única que influencia diretamente na decisão de compra. Atualmente, se tornou possível com o uso da realidade virtual.

Cada vez mais importante dentro do mercado, certamente é uma ferramenta que diversos segmentos podem começar a pensar em utilizar.

O que é a realidade virtual?

A realidade virtual engana os sentidos, por meio de diversos estímulo visuais e auditivos gerados dentro de ambientes virtuais. Geralmente, por meio de óculos e headsets que bloqueiam os estímulos externos.

Um exemplo clássico de realidade virtual, são aqueles brinquedos com vídeos e que as cadeiras se mexem, e ficam dentro de uma câmara escura. Quando você entra e sente que está em uma montanha russa.

Realidade virtual (RV) e realidade aumentada (RA)

É muito comum pessoas que confundem realidade aumentada com a virtual. Porém, são tecnologias diferentes. A realidade aumentada inclui uma camada na realidade, já a virtual é uma criação de uma nova realidade por meio de ferramentas. O melhor exemplo de realidade aumentada são aqueles aplicativos de fotografia com “máscaras”. A realidade está lá, mas existe uma camada adicionada a ela.

A realidade virtual no varejo

Já comentamos sobre o conceito de omnichannel e como aplicar no varejo farmacêutico. Com a ferramenta, a interação do cliente se torna ainda maior, possibilitando a conversão em vendas diretamente de uma realidade virtual.

Fazendo uso dessa ferramenta na sua loja, mesmo que pequenas, pode oferecer uma quantidade muito maior de produtos na loja virtual com ambientes maiores. Mais do que isso, pode até mesmo, ir além das “paredes” da loja física.

As vantagens de aplicar no varejo

  • Espaço físico menor e possibilidade de estoque virtual maior;
  • Enriquecer na experiência de compra. Dessa forma, o cliente pode visualizar uma roupa em seu próprio corpo, ou ainda, um móvel compondo um ambiente;
  • Personalização dos produtos pelos consumidores, que podem observar outras opções de cores e acabamento;
  • Planejamento da loja como posicionamento correto dos produtos e até mesmo para entender cada item comercializado sua composição e utilidade.

Esses são apenas alguns dos motivos de porque você deve começar a pensar em trazer essas tecnologias para dentro da sua loja.

Gostou do texto, então vem olhar aqui para ler mais!

Abraços

Equipe Thatto.

Fernanda Pilão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *